quarta-feira, 13 de julho de 2016

A preço de custo

Se me vires por aí, nalguma esquina
Vendido a preço muito barato
Não te espantes!
Busco o sustento e a dignidade,
Que a vida não me ofereceu
E por uns poucos réis
Durante pouco tempo,
Tu podes me chamar de teu
E lavar o chão com minha vaidade!
Mas não vais levar o que tenho
De mais meu... minha liberdade...

Nenhum comentário: