domingo, 16 de agosto de 2015

Poema ao menino

Que alegria e risos quando tu chegas
E passas comigo as horas, sem vê-las passar
E tudo é magia, aventura e encantamento
Triste quando te vais, e os dias e as horas
Volto a contar, a lamentar tuas demoras
E esse tempo, entre tuas chegadas e partidas
Que devo preencher, ainda que mais não saiba
Com o que me resta dos restos da vida.

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Ponto final

Eu hoje queria muito escrever
Sobram os motivos
Faltam as palavras
Sobram os mutismos
E os sentimentos em conflito
Que o interior agitam
Aqui fora, mortos
Antes de frase qualquer
Derrotadamente aplicam
O ponto final.