terça-feira, 10 de julho de 2012

As Horas

As horas, ao teu lado
Não passam
Voam!
Como voam os pássaros
E as tuas palavras
Outra coisa não são
Que os versos
De uma canção...
Ah! Mas por que rápidas
Passam assim?
Horas, palavras...
Por que, tão depressa
Se evadem de mim?
Consolo meu pranto
Se assim é
É pelo teu encanto...
Contudo, queria eu assim
Guardá-la
Junto de mim
Para que, pássaro,
Não voasse
Para longe
Para que canção
Não chegasse ao fim
Mas, dou-me por feliz
Enfim
Em tê-la
(mesmo que rara, como a rima em meus versos)
Ao menos um pouco,
Perto de mim...

terça-feira, 3 de julho de 2012

Fuga

Fugidias palavras, me fogem
Antes, vinham-me como luz
Agora, lira, para onde as conduz?
Fagulhas de inspiração...
Veja, então
Vez em quando inda me ocorrem
Mas não mais como dantes
Em que as palavras
Brancas bacantes
Vinham saciar-me em rimas profusas
Ah, realidade confusa
Traz para junto de mim
As letras, que outrora assim
Me faziam companhia
Pois, não largo essa mania
Antes, era magia
Que é o fazer poesia...